Economia Circula e Química Verde: Qual a conexão?

n1

Hoje tive a honra de participar do Seminário Internacional de Química Verde organizada pelo SENAI, a educação, a investigação e o braço tecnológico da Associação Brasileira da Indústria. O seminário foi organizado para lançar o novo centro de inovação no Rio de Janeiro, que será dedicado à Química Verde .

Eu me juntei ao primeiro painel para discutir as tendências do mercado, juntamente com o Prof Dr Luuk van de Wielen da Universidade de Delft Especializada em Química Verde, Fernando Figueiredo, Diretor Presidente da ABIQUIM (Associação Brasileira de Química ), Professora Vania Zuin de USFCar e moderado por Antonio Augusto, representante do Senai e responsável pelo novo Centro de Inovação ISI Quimica Verde.

O evento destacou os benefícios da Química Verde em um contexto global e demonstrou o potencial para o Brasil em termos de pesquisa e novas oportunidades de negócios .

A Universidade Federal do Rio de Janeiro teve também um papel importante ao falar sobre o papel da educação e da necessidade de desenvolvimento de competências.

O apoio do governo, incentivos financeiros e os riscos químicos também foram tópicos principais de discussão .

Na minha apresentação demonstrei como a Química Verde esta incorporada na Economia Circular e a oportunidade para o Brasil liderar essa discussão.

A Química Verde, com o potencial de geração de materiais naturais, eliminar a toxicidade do produto, transformar materiais residuais e priorizar energias renováveis, representa um dos princípios-chave da Economia Circular :

  1. Eco-design e resíduos como um recurso
  2. As energias renováveis e materiais naturais
  3. A seleção natural e diversidade

4. Visão sistêmica e colaborativa

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *