Brumadinho: problema brasileiro ou problema global?

Sempre fomos o país das commodities e fornecedores para o mundo, portanto respondemos às demandas do mercado internacional, neste caso como destacado na reportagem: “suprir a demanda por minério de ferro da China”.

É claro que nada justifica as negligências ao longo deste processo de crescimento acelerado, mas os “compradores” continuaram comprando mesmo com todos os riscos. Nós ficamos com os impactos e, portanto, precisamos rever os processos produtivos e aplicar um olhar mais amplo ao problema. A solução não cabe a uma empresa ou a um governo isoladamente. É um problema de todos e, inclusive, da sociedade de cobrar por atitudes mais responsáveis das indústrias e do governo antes do acidente acontecer, e não, depois da tragédia.

Vamos refletir juntos com esta matéria para a qual nossa fundadora, Beatriz Luz, foi uma das entrevistadas.

Se não houver uma mudança sistêmica no setor, quantas mais Marianas e Brumadinhos vão acontecer? Quem sabe não é hora de alguém liderar esta transformação? Fica a dica, Vale.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *